BANNER SETUR

 

Apreensões de armas no Espírito Santo crescem 9,7% em 2021

Fuzis, metralhadoras, pistolas, revólveres. Entre janeiro e julho de 2021, as forças de segurança do Espírito Santo apreenderam 2.499 armas de fogo, dos mais diversos calibres. O número é 9,7% maior que o registrado no mesmo período de 2020, quando 2.277 armas foram retiradas de circulação.

Os dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SESP) revelam que os criminosos usam, principalmente, revólveres. Nos sete primeiros meses deste ano, 922 exemplares deste modelo foram apreendidos. Em seguida, vêm as pistolas (657), espingardas (371), armas caseiras (180), metralhadoras (176), garruchas (156), simulacro de pistola (117), carabinas (30) e fuzis (07).

Ao analisar os dados por municípios, a liderança no número de apreensões fica com Vila Velha com 289 armas apreendidas, seguido por Serra, com 287; Cariacica, com 240; e Vitória, com 175.

“As apreensões de armas fazem parte dos pilares do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, do Governo do Estado.  Constatar um aumento de quase 10% em sete meses nos mostra que nosso trabalho tem gerado resultados. É importante, nesse contexto, destacar o trabalho do policial de ponta, aquele que está no dia a dia, fazendo policiamento ostensivo, abordagens e buscas”, afirmou o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho.

O secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, que é coordenador do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, falou sobre a importância da ação como parte estratégica do programa. “Após dois anos de queda, o Brasil registrou, em 2020, aumento no número de homicídios. Dos 50 mil assassinatos registrados naquele ano, cerca de dois terços, foram praticados com emprego de arma de fogo. Nesse sentido, uma das principais estratégias do Programa Estado Presente em Defesa da Vida para reduzir os indicadores de violência letal, no Espírito Santo, é a retirada desse instrumento das mãos dos grupos criminosos”, explicou Duboc.

Alta desde 2018

A série histórica de apreensão de armas indica que os registros vêm aumentando desde 2018, quando teve início a atual gestão, e foi retomado o Programa Estado Presente em Defesa da Vida. Em 2018, o Estado contabilizou a apreensão de 3.005 armas de fogo ao longo de todo o ano. Em 2019 foram 3.338 apreensões e, em 2020, o Estado alcançou um total de 3891 armas apreendidas.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *