BANNER SEDU

 

Espírito Santo é pioneiro na implantação do ‘Programa de Educação para Relações Étnico-Raciais’

Um conjunto de ações desenvolvidas nos últimos anos relacionadas às questões étnico-raciais tem feito do Espírito Santo o estado pioneiro na implementação de políticas públicas voltadas para o enfrentamento ao racismo nas Escolas Públicas Estaduais. Entre as principais ações estão: a constituição de uma equipe técnica exclusiva para tratar da temática, a realização de diversas formações voltadas aos professores, a criação de uma Comissão Permanente de Estudos Afro-brasileiros (Ceafro), a realização de oficinas com estudantes e a elaboração de um caderno de gestão específico sobre o tema, como forma de assessoramento pedagógico para os gestores escolares.

“O Espírito Santo tem sido referência nacional na implementação de políticas públicas relacionadas a essa temática. Ainda temos muito a avançar, mas temos conseguido efetivar ações que impactam diretamente no estudante, que é o nosso objetivo principal. Trabalhar e orientar as políticas educacionais desenvolvidas na Rede a partir da racialização de dados é também uma experiência que coloca a nossa Rede em um lugar de referência em implementação da Lei 10.639/03 na Educação Básica brasileira”, disse a gerente de Educação do Campo, Indígena e Quilombola (Geciq) da Sedu, Valquíria Santos Silva. 

Na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Fioravante Caliman, localizada em Venda Nova do Imigrante, por exemplo, o tema está sendo desenvolvido em todas as áreas de conhecimento. Segundo a diretora Celina Januário Moreira, em breve será realizada uma formação para os professores, com o tema “Racismo Estrutural e Institucional”.

“A ideia é formar os professores, principalmente os que estão chegando em nossa escola, para pensarem na temática antirracista a ser trabalhada com os estudantes ao longo do ano letivo”, explicou Celina Januario Moreira. A diretora também ressaltou que para os alunos, estão previstos seminários e produção de conteúdo como curta-metragem, podcast, entre outros.

Todos os anos, a EEEFM Fioravante Caliman promove o desfile Beleza Negra, que se tornou um evento muito esperado pelos estudantes. “Nesta escola percebi como os alunos se dedicam ao desfile da Beleza Negra. Algumas pessoas eu nunca tinha visto na escola e, que no dia do desfile, eu vi como se sentem valorizadas e felizes por aquele momento”, disse a estudante Lya Mara Firmino Tavares. A aluna relatou que no Ensino Fundamental sofreu racismo em uma outra unidade escolar, mas que na escola Fioravante Caliman “isso não é tolerado”.

Formações

Entre as ações do programa está a oferta de formações continuadas em parceria com o Centro de Formação dos Profissionais da Educação do Espírito Santo (Cefope), tanto para profissionais da Rede Estadual quanto das Redes Municipais.  Entre os cursos ofertados está “Raízes – Educação das Relações Étnico-raciais”, ofertado em 2021 e em 2022; e o curso “Educação das Relações Étnico-raciais e Modalidades Indígena e Quilombola”, ofertado em 2022, que beneficiou 3.552 profissionais.

Caderno de Gestão

Em parceria com o Instituto Unibanco, em 2021 foi iniciada a implementação do “Caderno da Gestão Escolar para Equidade”, que consiste em um processo formativo e o uso de ferramenta de auto avaliação no campo da Educação para as Relações Étnico-Raciais destinado aos diretores, pedagogos, professores, coordenadores de área, superintendentes, supervisores e assessores pedagógicos. Com projeção de expansão para este ano, já foram alcançadas 79 escolas da Rede.

Seminário

Em 2022, foi realizado um seminário com o tema “Gestão Escolar para Equidade: compromisso com a implementação de Políticas Educacionais Antirracistas”, que teve a participação de mais de 500 participantes e mais de 900 visualizações no YouTube durante a transmissão.

Oficinas

Como estratégia no assessoramento pedagógico e atendimento às denúncias de racismo no espaço escolar, a Ceafro vem oferecendo as oficinas “Rompendo o Ciclo”, que busca debater de forma didática sobre a temática étnico-racial com os estudantes da Rede. Ao todo, mais de 700 estudantes já participaram da ação.

Publicação de E-book

Outra ação foi a publicação de conteúdos sobre Educação das Relações Étnico-Raciais e Educação Escolar Quilombola e Indígena no formato de E-Book. Para acessar o E-Book, clique AQUI.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *