BANNER SETADES

 

Espírito Santo ganha Atlas Climatológico inédito elaborado pelo Incaper

O Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) lançou, nesta quarta-feira (05), o Atlas Climatológico do Espírito Santo. Inédito no Estado, o documento fornece um panorama dos padrões climáticos das regiões capixabas, sendo uma ferramenta estratégica de apoio para atividades, como a agricultura, o planejamento urbano, a gestão de recursos naturais, a adaptação às mudanças climáticas e a gestão de riscos de desastres.

O lançamento oficial ocorreu no Seminário “Diálogos Climáticos: Conhecimento, Reconhecimento e Perspectivas”, realizado em Vitória, pelo Incaper e instituições parceiras, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente.

Disponível em formato digital (baixe aqui), o Atlas reúne dados meteorológicos históricos do Estado, obtidos de 133 pontos de observação, no período de 1978 a 2019. Informações, como acumulado de chuva, temperatura média, evapotranspiração e balanço hídrico são apresentadas em formatos de mapas e tabelas detalhadas, em escalas anuais, sazonais e mensais. Foram usadas bases de dados do Incaper, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

O diretor-geral do Incaper, Franco Fiorot, destacou no lançamento que o Atlas Climatológico do Espírito Santo representa um marco significativo no estudo e compreensão das condições climáticas capixabas. “Esperamos que esse documento se torne uma referência para a formulação de políticas públicas, planejamento, pesquisas e tomada de decisões estratégicas em diversas áreas, inspirando ações que promovam bem-estar, desenvolvimento e resiliência frente aos desafios climáticos”, disse Fiorot.

“É um trabalho extremamente relevante para nosso planejamento. As informações sobre clima são cada vez mais estratégicas e indispensáveis para que o Espírito Santo mantenha sua agricultura forte e competitiva”, afirmou o secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Enio Bergoli.

“O Atlas Climatológico do Espírito Santo é uma fonte de informações muito importante para o plano estadual de adaptações às mudanças climáticas que estamos elaborando”, endossou o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Felipe Rigoni.

“Tenho certeza que será uma base de dados muito referenciada e popular para as pesquisas em várias áreas”, disse Celso Alberto Saibel Santos, diretor técnico-científico da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), instituição financiadora do projeto.

A abertura do evento também contou com a participação do presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES), Jorge Luiz e Silva.

Apresentação e homenagem

O Atlas Climatológico do Espírito Santo foi apresentado ao público do seminário pelo meteorologista do Incaper Pedro Pantoja, um dos organizadores da publicação, ao lado de Thábata Teixeira (meteorologista do Incaper) e Geórgia Goulart (geógrafa bolsista do projeto).

O pesquisador deu exemplos de como os dados podem ser utilizados na prática. “No caso da agricultura, a análise das médias de déficit hídrico, precipitação e evapotranspiração em cada região ajuda a nortear o planejamento agrícola, em especial a gestão da irrigação, levando ao uso mais eficiente da água nos cultivos”, frisou Panjota.

Em seguida, Renato Taques, pesquisador do Incaper, detalhou os modelos de predição espacial desenvolvidos para o Atlas, explicando como esses modelos auxiliam na compreensão da distribuição espacial dos dados climáticos e na previsão de tendências futuras.

A programação da parte da manhã do evento foi encerrada com uma homenagem a servidores do Incaper que, por meio de suas atividades, ajudaram a construir a história da meteorologia capixaba. Placas de agradecimento foram entregues aos homenageados.

Seminário debateu mudanças climáticas

Realizado no auditório do Crea-ES, o Seminário “Diálogos Climáticos: Conhecimento, Reconhecimento e Perspectivas” promoveu, na parte da tarde, reflexões e debates sobre as mudanças climáticas, com a participação de especialistas do Espírito Santo e do Rio de Janeiro.

A mesa-redonda “Adaptação e Resiliência: Enfrentando os Impactos Socioeconômicos e Ambientais das Mudanças Climáticas” foi moderada por Hugo Ramos, coordenador de meteorologia do Incaper e especialista em Gestão de Recursos Hídricos.

Ana Palmeira, meteorologista e professora adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), deu início às discussões com uma apresentação abrangente sobre as mudanças climáticas. Em seguida, o gerente de Relacionamento Institucional do Crea-ES, Giuliano Batistti, destacou os impactos socioeconômicos e ambientais das mudanças climáticas, abordando como essas alterações afetam as comunidades e os ecossistemas.

Ronaldo Palmeira, meteorologista e diretor técnico da AtmosMarine Tecnologia e Consultoria, encerrou os painéis apresentando potenciais soluções tecnológicas e ferramentas práticas para mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

O seminário foi uma realização do Incaper e da Secretaria da Agricultura, Aquicultura, Abastecimento e Pesca (Seag), com o apoio do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea); Conselho Regional de Engenharia do Espírito Santo (Crea-ES), Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes); Centro de Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento do Espírito Santo (CPID); Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes); Associação dos Profissionais de Engenharia Ambiental do Espírito Santo (Apea-ES); e Secretaria da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti). 

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *