BANNER SEFAZ

 

Governo do Espírito Santo garante medicação de R$ 1,2 milhão para criança portadora de AME

A Farmácia Cidadã Estadual de Cachoeiro de Itapemirim realizou a primeira entrega do medicamento Nusinersena por via padronizada no Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, sendo incorporado na lista dos fármacos disponibilizados pelo Ministério da Saúde e distribuídos pelo Estado. O remédio é prescrito para portadores de Atrofia Muscular Espinhal (AME) e custa em média R$1,2 milhão para quatro aplicações.

Antes da inclusão do medicamento na listagem, que ocorreu em 2019, a aquisição era realizada por meio judicial podendo demorar até 180 dias para aquisição do medicamento. A farmacêutica e coordenadora da Farmácia Cidadã, Sara Machado, explica como foi o processo para obter o remédio.

“A partir da incorporação do medicamento para AME tipo 1 e posteriormente sua aquisição pelo Ministério da Saúde, a família do paciente abriu processo na farmácia básica do município de Itapemirim que nos encaminhou a documentação que comprovava a doença para acesso ao medicamento. Após esse procedimento, fizemos a solicitação ao Ministério da Saúde que agilizou o trâmite para o envio do medicamento ao nosso Estado”, disse.

O medicamento foi destinado ao Hospital Materno Infantil Francisco de Assis (HIFA) onde foi aplicada a primeira dose, no último dia 22 de julho, no pequeno Hitalo Gabriel Ferreira de Sousa, de apenas seis meses. Para a mãe do paciente, Edivania Maria Ferreira da Silva, esse momento representa esperança para toda família e uma oportunidade de o filho ter uma vida normal e tranquila futuramente.

“Creio que esse tratamento fará com que ele tenha uma vida mais tranquila. Consigo ver ele como uma criança normal, brincando com outros amiguinhos, indo à escola e isso nos deixa muito feliz”, relatou.

O paciente passará por mais três aplicações do remédio, sendo uma com 14 dias após o início do tratamento, outra com 30 dias após a primeira aplicação e a última com 60 dias. Após esse processo, o remédio será aplicado a cada quatro meses, por tempo determinado pelo médico da criança.

O superintendente da Região Sul de Saúde, José Maria Justo, destacou a importância dessa distribuição padronizada e como esse procedimento facilita a assistência ao usuário. “Esse é um passo muito importante para todos nós, uma vez que está sendo disponibilizado um medicamento tão caro de forma mais fácil ao cidadão. Isso ajuda na assistência e fortalecimento ao Sistema Único de Saúde”.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *